Elefantes, elefantes everywhere

Ora muito boa tarde caríssimos leitores,

Foi com grande alegria, alguma vá, que vi a semana passada que o Dolce Vita de Braga parece que vai mesmo abrir (notícia). E vai ter uma loja da IKEA e tudo. Nunca fui a uma loja destas, mas toda a gente fala tão bem, jogam lá às escondidas ao que parece, que acho que até irei lá para fazer turismo e quem sabe fazer um tacha. Este era um centro comercial que ia sempre abrir “para o ano”, chegando a falar-se num piso todo dedicado aos chineses. Até gostava de ver, uma pessoa ia ali à Massimo Dutti comprar uma camisinha à maneira e depois dava um saltinho ao chineses para balancear as contas. Mas pronto, este centro comercial arriscava ser mais um elefante branco. Mas como este, há outros espalhados por este país. Alguns dos estádios do Euro 2004 como o de Aveiro ou Leiria já toda a gente sabe que são, e não me vou alongar muito. Foi lindo aquelas bandeiras todas nas casas; a faturinha ao final do mês é que já não é tanto. Temos também o aeroporto internacional de Beja, que só custou 33 milhões de euros, mas que não atraiu ninguém. O que não se percebe, já que o aeroporto internacional mais próximo fica a 156 km de distância, em Faro. Uma distância impensável para se fazer noutro meio de transporte. Até fui fazer uma pesquisa (Wikipedia, óbvio), e com este aeroporto Portugal continental tem 4 aeroportos internacionais. Nada de extravagante, como aqueles ricaços da Suíça que tem 6. Ah, mas eles podiam ter um por cada aldeola lá dos Alpes. E ainda não se avançou para o da Ota, senão íamos ter um elefante branco mutante. Esse mais o TGV. A Marina do Lugar de baixo, por terras do Tio Alberto João Jardim, teve um investimento de 100 milhões de euros. Grande empreitada, capacidade para 297 embarcações. Que na Madeira é só gente rica, com barcos de recreio. Agora é uma zona de recreio mas é para a população. E ainda dizem que estes políticos não se preocupam com o povo, até fazem zonas de lazer milionárias para todos. O mais recente é o SATU, na zona de Oeiras. Para quem não sabe, é um meio de transporte não tripulado. Ora, cada carruagem tinha capacidade para 106 passageiros, passavam numa média de 4 minutos, e tinham uma média diária de 500 e tal passageiros. Destes, como bons tugas, provavelmente alguns não pagavam bilhete. Portanto, tínhamos um sistema de transporte de ar que também custou uns milhões, mas atenção, ao menos era não tripulado!

Mas para quem diz que neste país é assim, ou assado, nos outros também se passam coisas engraçadas. Espanha também tem o seu aeroportozinho de Ciudad Real, que só custou 1000 milhões de euros. Quase que os nossos são uma pechincha. Os alemães são muito organizadinhos e inteligentes, mas o aeroporto de Berlim já era para ter aberto em 2012, foi adiado para 2017, já gastou mais de 3,6 mil milhões de euros, e a data de abertura ainda não é certa. As ilhas do mundo, no Dubai, estão de construção parada e a afundar. Um mamarracho de apenas 10 mil milhões de euros. E isto são só alguns. Como se vê, toca a todos. Não que eu ache bem um elefantezinho branco aqui e ali, os outros que os tenham.

Tomate de Barcelos

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s