Isto é só saber

Boa noite caros leitores,

Eu tinha dito na semana passada que excecionalmente o meu post ia ser na quarta-feira, mas parece que afinal o Tomate de Barcelos é uma espécie que se dá melhor à quarta e o de Niterói à sexta-feira, por isso vamos ficar assim agora.

Há uns tempos estava a ler uma notícia acerca do vocalista e baixista dos Motörhead, o senhor Lemmy, na qual o próprio dizia que tinha deixado de beber Coca-Cola. Muito bem! Pensava eu que o senhor já não ia para novo e estava a zelar pela saúde, por causa do açúcar da bebida. Afinal, consta que ele tem diabetes. Logo a seguir ele diz que vai, então, mudar para a vodka laranja. Parece-me uma boa medida! Assim não carrega o pâncreas, e divide a carga com o vizinho do lado. É como aquela onda de assaltos na minha terra. O ladrão assalta uma casa de manhã, vai almoçar, e de tarde assalta a do outro lado da estrada, para equilibrar e não obrigar os agentes a ter que andar à procura de uma nova morada. Aprovado! Voltando ao senhor Lemmy, esta troca parece-me também acertada porque o seu fígado está habituado, ou não fosse ele pessoa para beber uma garrafa de Whisky por dia, segundo consta, como a velha guarda do rock. Isto é sempre uma coisa que eu não percebo. Há malta que bebe como tudo, fuma o alcatrão da estrada, usa drogas a torto e a direito, e anda aí para as curvas. Um tipo leva uma vida mais ou menos saudável, um dia come um rojão a mais e anda logo lixado durante uns dias. No fundo acaba por ser como aquelas crianças que andam a brincar na terra e acabam por ter mais defesas do que as limpinhas. Ao menos o senhor Lemmy tem vícios de homem, faz parte de uma outra geração de músicos. Agora a cena é ser viciado em xarope da tosse, como o Lil Wayne.

Mas, eu disse rojões porque é uma comida com bastante gordura e que eu gosto, nada de más experiências com eles. Mesmo que tivesse tido, o mais certo era continuar a comê-los e a saber-me bem. Eu acho piada àquela malta que sabe sempre, com precisão atómica, o que lhes causou mal-estar. Ou foi o bife que estava mal passado, ou a salada que tinha vinagre a mais, ou a comida que estava salgada, ou, certamente, aquele grão de arroz que tinha ketchup disposto de maneira não uniforme. Mas mais engraçado ainda é quando a mesma pessoa apanha uma bebedeira e sabe sempre o que é que lhe faz mal. E nunca é o álcool em excesso. Toda a gente sabe o mal que a água faz por cima do álcool. E toda a gente sabe que há sempre malta mal-intencionada a querer dar isso aos amigos. Pior que isso só mesmo uma laranja à noite, como diz o povo.

Isto é pessoal que é quase médico. Só falta o canudo. Mas, isso hoje em dia também não vale nada, mais vale não estudar, porque o saber ocupa lugar. Se não se deve apanhar sol na hora do almoço, então é quando o pessoal mais gosta, “para morenar”. Se tem tosse e o médico passa um xarope vulgar em vez de um antibiótico, então é um penedo. Mal sabem que não faz nada e até faz mal. Vá lá que agora é diferente, porque há uns anos o farmacêutico amigo lá dava o jeito. Se mandam parar de fumar, mais vale continuar porque uma pessoa tem que morrer e tem. Se tem que cortar na comida, corte-se, menos nas ocasiões especiais. O que safa é que quase todos os dias são dedicados a um santo que merece ser homenageado com um bucho bem cheio.

E pronto, hoje foi assim.

Tomate de Barcelos

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s