Salade of Tomatoes

Boa tarde, boa tarde!

Como estais meus fiéis súbditos? A semana foi boa? Ainda bem, se correu mal temos pena, a próxima vai ser melhor.

Estava eu a passar no shopping e li ao longe, ainda que com alguma dificuldade um cartaz de um filme chamado A Promessa de uma Vida. Como estava com pressa nem me aproximei, mas fiquei com aquele nome na cabeça, e fui até casa a pensar, que raio de filme era aquele!

Chego a casa, vou logo à internet (por mais estranho que isto pareça, eu precisava mesmo de saber que filme era aquele), escrevo no Google e deparo-me com The Water Diviner. “Ahhhhh, já sei” o primeiro filme do Russel Crowe como realizador que retrata os tempos da primeira grande guerra. Não vou dizer que é uma má tradução, até porque não vi o filme, mas foi difícil associar os títulos em inglês e português. Depois disto, dou por mim a pensar em traduções de títulos de filmes. Nós nem somos muito maus, porque no nosso país felizmente somos corretos e tentamos evitar dobragens e traduções ridículas. Se acham que as nossas dobragens são más, basta ver uma dobragem de um filme em polaco, onde parece que o mesmo senhor monocórdico faz todas as vozes do filme. E eu não quero falar mal dos nossos irmãos brasileiros, mas ou eles inventam os nomes de filmes quando estão bêbados, ou simplesmente não sabem inglês e inventam um nome completamente novo. Com uma pequena pesquisa no Google ficamos admirados com a criatividade deles, ora vejam aqui três exemplos: The Hangover – Se Beber, Não Case; The Sound of Music – A Noviça Rebelde; The Godfather – O Poderoso Chefão. Meu deus, alguém tinha de estar bêbado para achar que aqueles títulos eram uma boa ideia.

Mas nós tentamos, sim tentamos, porque uma vez por outra lá mandamos assim uns títulos que são simplesmente RIDÍCULOS! Há claramente cinco tipos de tradutores no nosso país.

Os que não traduzem, e ainda bem. Há muitos filmes que não podem ser traduzidos, temos o exemplo recente de Interstellar, The Shining ou mesmo o Memento. Claro que o nome em inglês pode dar azo a que algumas pessoas não percebam, mas uma tradução poderia ser de difícil compreensão também.

Os que traduzem à letra, outra das traduções que em princípio funciona e é sempre uma boa solução. Relativamente a esta tradução não há muito a dizer, não alteram de maneira nenhuma o sentido do título o que não pode de todo ser criticado na minha opinião. Temos alguns exemplos como, El laberinto del fauno – O labirinto do fauno e The Secret Life of Walter Mitty – A Vida Secreta de Walter Mitty.

Existem ainda aqueles que Ok, aceita-se a tradução. Nestes filmes, o sentido do título até pode mudar mas o assunto geralmente é adequado. Dou o exemplo de Intouchables – Amigos Improváveis ou mesmo American History X – América Proibida.

Uma moda que tem vindo a crescer entre os tradutores, é a adição para não traduzir. Estes adicionam um subtítulo ao filme original com o intuito de não realizar traduções que façam pouco sentido. Para mim este é um bom método e faz todo o sentido, claro que é preciso pensar bem no subtítulo, mas pelo que tenho visto, os nossos tradutores têm feito um bom trabalho. Entre a infinidade de filmes em que isto acontece destaco já o clássico de terror Alien de Ridley Scott, que em português se chama, Alien: o 8º Passageiro, o fantástico Saw, que em Portugal adotou o nome de Saw: Enigma Mortal e a brilhante produção deste ano, Boyhood ao qual foi acrescentado o subtítulo Momentos de uma vida. Todos eles mantém o título original e adicionam informação extra para tornar o título mais apelativo e fiel ao filme.

Por fim, aqueles por quem mais ansiava falar, os que traduzem e mudam o sentido. Existem inúmeros exemplos de filmes, onde simplesmente os tradutores (ressacados, ou com problemas de leitura) decidiram dar um toque especial ao título do filme em português. Por exemplo, Are we there yet? que em português recebeu o brilhante nome Estás frito, meu! Porquê? Fazia muito mais sentido “Já chegamos?” até porque é uma expressão bem portuguesa também. Por exemplo The Place Beyond the Pines, de seu nome em Portugal, Como um trovão. Mais uma vez, porquê? Porque o Ryan Gosling anda de mota? Porque o filme a meio tem alto twist que lhe parece que caiu um trovão em cima? Gostava de saber se estes e outros títulos passaram por uma segunda pessoa que disse: “sim senhor, este nome é bastante adequado” ou se simplesmente o tradutor meteu o nome e o bom português, preguiçoso como é, nem verificou. Mas estes nem são os piores na minha opinião, e portanto vou fazer aqui o meu top 3 das piores traduções.

3º lugar: Conan The Barbarian – Conan e os Bárbaros

Ok, este clássico interpretado por Schwarzenegger já é um filme antigo e claramente nem toda a gente sabia ler inglês, uma tradução era claramente necessária, mas depois de ver este título quem é que é bárbaro afinal? É o Conan ou são os outros senhores, eu se fosse aos outros senhores ficava profundamente ofendido, porque chamar bárbaro assim do nada não é bonito.

2º lugar: Shaun of the Dead – Zombie Party: Uma Noite…. De Morte

Espera, eu li bem? Zombie Party? Este tradutor não só bebeu como fumou umas coisas muito fortes. Eu a primeira vez, até desconfiei. Pensei que estava a ver o título em brasileiro, porque eles é que inventam destas coisas, isto não pode estar certo. Mas infelizmente está. É um título horrível não fazendo jus à brilhante comédia que o filme é. Shaun of the Dead com esta tradução acaba por fazer lembrar um filme de categoria B ou um filme do género de Scary Movie, e acreditem, é 10 vezes melhor que isso.

1º lugar: Forgetting Sarah Marshall – Um belo par… de patins

Quase que nem tenho comentários para tal barbaridade (e não estou a falar do Conan), não sei que dizer. O filme não é bom, mas com este título, é ainda pior… Eu até estou a tentar alongar-me sobre o verdadeiro significado deste título, mas não estou a conseguir, desculpem. Quando leio Um belo par…. Pensei logo que estariam a falar das Boobs da Sarah Marshall, mas a seguir metem uns de patins, não percebo e não consigo explicar sinceramente.

Fiquem lá com a minha recomendação semanal que já se faz tarde, um filme com um título bem traduzido.

The Hunt (2012)

Uma fantástica historia que prova que uma pequena mentira pode ter proporções inimagináveis.

Interpretações: 10/10

Historia: 10/10

Produção: 7/10

Nota Final: 9/10

Adeus, Adeus

Tomate de Ferreiros

Anúncios

4 thoughts on “Salade of Tomatoes

    1. Olá John. Primeiro, grande filme de acção que nos trouxeste o ano passado!
      Segundo, obrigado pela tradução ridícula que nos trazes. Até me levou a pensar que os filmes que têm estes nomes ridículos, têm tendência a ser fracos, secalhar é um sinal!

      Gostar

  1. Aguardo ansiosamente a resposta do Tomate de Nitéroi… Fizeste aqui uma enxovalhada ao povo brasileiro que nem é bom! Sim, porque falaste nas traduções de títulos, mas todos sabemos que é assim nas traduções de tudo!

    Liked by 1 person

    1. Não só os nossos irmãos lá do Brasil, na Europa temos muitos casos de pessoas que simplesmente não sabem ler legendas e dobram os filmes todos….
      Parece-nos triste, mas eles dizem que tiram mais partido dos filmes assim… Eu cá prefiro continuar com legendas, que assim é que tou bem! Quanto ao tomate de Nitéroi, ele já é mais tuga que brasuca!

      Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s